As ativações são um meio de conectar nosso REAL estado de SER. As quatro ativações se complementam em vários níveis, nos trazendo a memória do que realmente somos e viemos a fazer.

As "Quatro Chaves Atlantes" nasceram num tempo em que os humanos começaram a se esquecer que eram DEUSES. Possuímos "carta branca" para criar (cocriar) nossa vida nessa dimensão como desejarmos, mas nos esquecemos COMO.

A Ativações Atlantes são para nos restaurar, conforme os DEUES que SOMOS.

Em resumo, os processos são (mais detalhados ao final do texto):

- Alinhamento dos chakras para que trabalhem equilibradamente, trazendo energia do Cosmos e da Terra, ativando o poder da Coluna Vertebral.

- Reconexão dos coorpos físico e energéticos com a consciência da Terra (seus meridianos, pontos energéticos, chakras) que se localizam em lagos e montanhas;

- A terceira nos alinha emocionalmente, chamada também de Exaclibur;

- A quarta seria uma nova reprogramação do sangue, trazendo Ilumonação.

Somos seres nascidos no planeta Terra e temos que voltar a nos reconectar com Ele para podermos trabalhar em sintonia. Recebemos ultimamente muitas energias (frequências; informações) do Sol Central da Galáxia e, quando estamos reconectados à tudo, essa energia nos auxilia muito na nossa evolução e a do Planeta Terra também - vivendo em perfeito equilíbrio. Isso nos torna mais sábios, amorosos, intuitivos, saudáveis e até mais inteligentes. Também nos tornaremos mais aptos a desepertar e desenvolver nossos Potenciais Divinos, retomando nossa genética original de Humanos Dourados que viemos a SER.

 

TEXTO ALONGADO E DETALHADO:

 

  1. O BASTÃO

Refere-se ao CAJADO que a muitos deram o poder. Está relacionado com a Coluna Vertebral (veículo por onde as informações se instalam, enviadas pelo Eu Superior), o eixe da humanidade e de cada indivíduo.

Para sermos “portais” temos que conectar o Bastão com nosso corpo espiritual, energético e físico (= som, luz e forma) que estão também ancorados na Terra.

Somente podemos ter este “poder” se nos regermos bem primeiro. A Ativação do Bastão é acessar o poder Interno do Ser Humano e conectar com a fortaleza dos Deuses que dentro do nosso Ser.

Alinhando os 12 chakras por sons e frequências, pela coluna vertebral (Canal Central) ativamos també a Kundalini (conectado com fogo da medula espinhal ativada junta com o fogo interno da Terra pelos pés e energia do chakra base).

Chamaremos a coluna vertebral de BASTÃO DO DESTINO, a Primeira Chave

2 –      A PEDRA 

Faz referência a Pedra Filosofal – também conhecida como Elixir da Vida Eterna. Esta vem de várias culturas, que possuíam pedras de Poder que conectavam a tudo, inclusive transformando pedras em metais preciosos ou diamentes. A Pedra tem o poder de transmutar. Esta ativação em nós tem o poder de Transcender o Ser (nos tornar capazer de evoluir). Essa energia está conectada com nossos minerais no corpo (ossos e articulações) e no planeta aos montes (pedreiras) e lagos.

Nos conectando a Pedra Filosofal do nosso interior podemos realizar a Alquimia da Transmutação, com a força do Planeta.

Esta ferramenta nos conecta com a Rede de Sabedoria Universal, pois são as pedras são eternas entidades de um mundo, nas quais permanecem os registros intactos desde a origem. Como a Pedra está conectada com todos os minerais do mundo, esta ativação lhe permitirá sentir o SEU mundo INTERIOR. 

3 -       A ESPADA 

É o Potencial que cada indivídio possui em seu interior, defender e unir. Escolher a serenidade de montarmos nosso cavalo: as emoções. As emoções que nos impedem de usar a Espada com firmeza. As emoções são como um cavalo que só colaboram conosco e nosso propósito quando o tratamos de igual para igual: com respeito e harmonia. Assim, pelo coração nos conectamos com o propósito em harmonia com nossas emoções, elevando assim nossos Potenciais. 

A Espada possui algumas conotações como honra e supremacia, poder, morte e vida. Ela “elegia” um Rei ou simplismente sua presença defendia o corpo de um indivíduo ou de um povo. A Espada representa uma chave fundamental: A Proteção. 

Existem muitas histórias com a Espada. Desde Rei Arthur, Merlin, Avalon até a firme associação com os Cavaleiros. Um bom cavaleiro, monta e controla seu cavalo (emoções) com a espada em total controle (honra, força, potencial, proteção, defesa) e sua presença trazia calma as pessoas  a quem protegia. 

Esta ativação nos conecta a 12 meridianos do planeta em ressonância com o corpo humano. Assim alinhamos nossas 5 extremidades (cabeça, braços e pernas, como a figura de Da Vinci – o Homem Vitruviano). Os 12 Meridianos são os 12 chakras. Essas linhas imaginárias existem no campo eletromagnético do corpo humano. Esta ativação ativa nossa própria Excalibur

 4 –      A COPA 

A Copa é um símbolo muito profundo na cultura crística. Em muitas culturas é um eixo de poder e cura.  Em tempos remotos utilizavam-se vasilhas com água para refletir e usar como pequenos “observatórios estelares” (espelhos do céu na Terra). Diziam as antigas tradições: beber das vasilhas, era tomar as estrelas e o céu, a qual dava força dos Deuses aos Homens.

A Copa foi o resultado daquela vasilha sagrada que refletia o céu. O primeiro Espelho, a primeira chave em que podemos beber o Céu na Terra

A água é o um condutor de energia, símbolo da vida e veio das estrelas para ser uma ponde de conexão entre o Céu e a Terra. Mesmo mudando várias vezes de forma, ela SEMPRE volta a ser ÁGUA. O tempo e o espaço pelo qual nos movemos, transformam-se constantemente, em sua unidade e no nosso mundo visível é representado pela água. 

Os Viajantes do Tempo e do Espaço – nós mesmos – em nossos corpos somos a Copa, retidos nesse corpo esperando sermos enchidos pelas águas da Dinvidade. 

Na água que nos banha ou na que nós bebemos, está a chave para transformar nosso Ser, nosso sangue e para isso, devemos carregá-la com energia das Estrelas. 

A água, o sangue, o vinho se bebidas nelas, eram transformadas em sagradas pois faziam os seres da Terra seres Divinos, filhos dos Deuses que viajavam no Tempo e no Espaço. O elemento água, principal componente da vida, chegou dos céus e se refletia nele.

Em Atlanta o sangue refletindo o céu o tornava azul (o conceito de Sangue Azul é o sangue sem oxigênio, que não oxida. Em Atlantida a vasilha era azulada).

A Copa Sagrada transforma o sangue, voltando a ser Sagrado. Cura de dentro para fora, restaurando o DNA. É O Santo Graal que faz o sangue transcender-se em sua total capacidade e iluminar-se.  

Todas as 4 Ativações eram feitas em Atlanta. O que estas energias farão em seu corpo é relembrar  as suas células e seus átomos o Ser Humano Divino que ÉS.